Língua Portuguesa

Dois pensamentos sobre a liberdade

Jan Nicolaas Kind – Brasil

Freedom

Pensamento um: uma máscara 

Uso uma máscara e a uso não para me proteger, mas para proteger os outros. Sou livre, porque agora posso ler ou reler todos os livros incríveis que mal toquei, por dizer a mim mesmo que não havia tempo. Com certeza, estou livre, porque concluí que a pandemia é a mudança climática em uma panela de pressão. 

Livre porque eu posso ir para dentro, para os arredores tranquilos da minha sala de meditação e jardim, enquanto tento me conectar com toda a bondade, que ainda nos rodeia neste planeta. Realmente livre, porque, ao invés de ir ao meu restaurante vegano favorito, agora, eu mesmo experimento várias receitas deliciosas; eu não sabia que os pratos ficariam tão bons.

Livre, porque, neste momento da minha vida, sou inexplicavelmente forçado a olhar melhor ao meu redor, e reconhecer que a única saída significa trabalharmos, intensamente, para formar um Núcleo da Fraternidade Universal, a fim de servir este planeta e seus habitantes, de uma maneira verdadeiramente “sustentável”.

Read more: Dois pensamentos sobre a liberdade

Raízes e Brotos

Dorothy Bell - Austrália

LESP 2 DorothyBell

Dorothy Bell

Até certo ponto, os eventos e cronogramas da árvore genealógica americana, da Teosofia, encobrem a verdadeira natureza de sua vida evolutiva — os ciclos e padrões de crescimento, declínio e renascimento e, dentro deles, as lutas buscando a realização do objetivo original da Sociedade Teosófica.

Novas estações viram alguns ramos da árvore genealógica engrossarem, e estenderem seus galhos, enquanto outros murcharam e morreram. Ao levantar-se do subsolo e encontrar novos canteiros, novos corredores das principais raízes encontraram seu próprio lugar ao sol — enquanto aparentavam estar separados. Na árvore original, as tempestades danificaram os galhos, às vezes separando-os. E na plenitude dos ciclos, as folhas caíram, enquanto outras cresceram, ocupando o seu lugar nos galhos e em outros ramos, empurrando-se para fora, de forma a encontrar a luz, respondendo, assim, ao mesmo impulso vivo e vibrante de expressão e expansão da vida.

Read more: Raízes e Brotos

Editorial – A habilidade de ter a mente aberta

Jan Nicolaas Kind – Brasil

jank 419

O autor

De um modo geral, abertura refere-se à vontade de ouvir e considerar ideias diferentes e tentar coisas novas. Indivíduos abertos geralmente aceitam os valores e as crenças dos outros; uma mente aberta não rejeita rapidamente opiniões opostas como erradas. As pessoas têm mente aberta o suficiente se forem receptivas a argumentos fortes contra suas crenças comprometidas.

Jeremy E. Sherman - Pesquisador de Ciências Sociais

Teósofos, não importa a tradição ou a corrente a qual pertençam, devem ser livres-pensadores. De acordo com a maioria dos dicionários, um livre-pensador é uma pessoa que rejeita opiniões aceitas, especialmente aquelas relacionadas a crenças religiosas.

A liberdade de pensamento está embutida no DNA da Teosofia. Como teósofos, considerando que temos mentes abertas e a capacidade de pensar por nós mesmos. Em alguns casos, isso é mais aspiracional do que real. Temos tantas pessoas de mente fechada quanto em qualquer outra organização – e de acordo com algumas, existem até mais. (1)

Read more: Editorial – A habilidade de ter a mente aberta

Fazendo Teosofia

John Algeo – EUA

JA 1

John Algeo

O termo "Teosofia" geralmente é definido em termos de ideias. Assim, o 11º Dicionário Colegiado da Merriam-Webster define dessa maneira, tanto geral quanto especificamente:

1. Ensinando sobre Deus e o mundo com base em insight místico.

2. Frequentemente capitalizados: os ensinamentos de um movimento moderno originário dos Estados Unidos, em 1875, e seguindo principalmente as teorias budistas e bramânicas, especialmente sobre evolução e reencarnação panteísta.

O mesmo acontece com o dicionário inglês mais curto, Oxford:

Qualquer um dos vários sistemas de crença que sustentam que um conhecimento de Deus pode ser alcançado por êxtase espiritual, intuição direta ou revelações individuais especiais; especificamente: (a) tal sistema proposto por Jacob Boehme (1575-1624); (b) um sistema moderno seguindo alguns ensinamentos hindus e budistas, buscando fraternidade universal e negando um deus pessoal.

Essa não era, porém, a visão de Madame Blavatsky, que escreveu em A Chave para a Teosofia, pág. 31: "Teósofo é aquele que age teosoficamente". Um teósofo não é alguém que mantém ideias particulares, mas sim alguém que "faz" a Teosofia.

Read more: Fazendo Teosofia

A fonte do insight (discernimento)

 

Theosophy Vidya 2 319

[A Revista Vidya, http://www.theosophysb.org/site/publications.html, editada por associados da Loja Unida de Teósofos em Santa Barbara, EUA, publicou o seguinte artigo em sua edição de inverno de 2019].

Voltar-se para dentro a fim de encontrar o Eu interior é mergulhar-se nas profundezas do que pode parecer um lugar escuro. Mas se alguém vai fundo o suficiente, encontra as águas calmantes e refrescantes do insight e da sabedoria. Em A Voz do Silêncio encontra-se: "Tem paciência, Candidato, como quem não teme fracassos nem corteja êxitos. Fixa o olhar de tua alma na estrela cujo raio é , a flamejante estrela que brilha dentro das obscuras profundezas do ser permanente, dos campos ilimitados do Desconhecido". Essa contemplação é como formar uma ponte, uma conexão com um vasto campo do desconhecido que pode gradualmente se tornar conhecido.

Read more: A fonte do insight (discernimento)

Mini-entrevista José van der Loop

The Society MI 10 Josevanderloop 1 1

1. Qual é o seu nome, de onde você é, e há quanto tempo é membro da ST?

Meu nome é José van der Loop, sou da Holanda e sou membro da ST de Adyar desde 2014.

Read more: Mini-entrevista José van der Loop

Por uma humanidade unificada

 Boris de Zirkoff – EUA

Teosofia
Uma filosofia viva para a humanidade

 

Volume VIII
No. 2 (44) – Julho-Agosto 1951

Theosophy BdZ 2

[Foto original da capa: H.P. Blavatsky em seus quarenta anos. (De Incidentes na Vida de

Madame Blavatsky, de A. P. Sinnett. 2ª ed., Londres: Theos. Pub Society, 1913.)]

Frente a frente com o terrível conflito de ideias que assola a fase histórica do século XX, o estudante da Antiga Sabedoria tem o dever de não tomar partido e tentar avaliar a situação existente à luz dos princípios eternos de pensamento.

Isso não é tarefa fácil. É um fato em que todo estudante se vê vacilando a cada curva da estrada, confundindo sombras com realidades. Ele será atraído por poderosas atrações magnéticas e impelido a se apegar a um ou a outro lado, e a defender causas que, em sua própria natureza, não têm permanência alguma. O estudante será chamado a transcender suas predileções pessoais e a penetrar por detrás do véu exterior das aparências, em fatores incertos que são ignorados pelo observador casual, aquele sem filosofia de vida.

O estudante terá que ter em mente o fato de que nenhum dos participantes do conflito mundial de ideias é totalmente certo ou totalmente errado. Suas respectivas causas individuais e seus objetivos têm elementos de verdade e falsidade, suas veementes e frequentemente violentas ações não são devidas ao mal inerente, mas à falta de compreensão mútua e ausência de sabedoria. De fato, seria uma solução fácil se fosse possível limitar todo o mal e toda a culpa a um ou outro partido e eliminar esse grupo do mundo dos homens. Mas a complexidade da natureza humana e a inextricável teia kármica da ação, tanto passada quanto presente, exige que os problemas humanos sejam trabalhados com base na compreensão, simpatia e auto-esquecimento — lições difíceis de aprender para o tipo agressivo, egocêntrico e vaidoso de homens.

Read more: Por uma humanidade unificada

Text Size

Paypal Donate Button Image

Subscribe to our newsletter

Email address
Confirm your email address

Who's Online

We have 163 guests and no members online

TS-Adyar website banner 150

EUROPEAN SCHOOL OF THEOSOPHY 2021 Logo

Facebook

itc-tf-default

LOGO ITC

TS Point Loma/Blavatsky House

Vidya Magazine

TheosophyWikiLogoRightPixels