Língua Portuguesa

Raízes e Brotos

Dorothy Bell - Austrália

LESP 2 DorothyBell

Dorothy Bell

Até certo ponto, os eventos e cronogramas da árvore genealógica americana, da Teosofia, encobrem a verdadeira natureza de sua vida evolutiva — os ciclos e padrões de crescimento, declínio e renascimento e, dentro deles, as lutas buscando a realização do objetivo original da Sociedade Teosófica.

Novas estações viram alguns ramos da árvore genealógica engrossarem, e estenderem seus galhos, enquanto outros murcharam e morreram. Ao levantar-se do subsolo e encontrar novos canteiros, novos corredores das principais raízes encontraram seu próprio lugar ao sol — enquanto aparentavam estar separados. Na árvore original, as tempestades danificaram os galhos, às vezes separando-os. E na plenitude dos ciclos, as folhas caíram, enquanto outras cresceram, ocupando o seu lugar nos galhos e em outros ramos, empurrando-se para fora, de forma a encontrar a luz, respondendo, assim, ao mesmo impulso vivo e vibrante de expressão e expansão da vida.

O impulso do coração que semeou a sua semente em 1875, e viu crescer o seu veículo externo — a Sociedade Teosófica — de forma a levar a luz da sabedoria ao mundo, está ainda hoje conosco, nos corações dos muitos que estão, novamente, respondendo ao seu chamado original, mas encontrando-se sob diferentes rótulos, em caixas diferentes e em territórios diferentes.

Ao longo dos anos, linhas de demarcação foram desenhadas na areia, cercas foram construídas, territórios estabelecidos e guardados. Com o tempo, as linhas desenhadas na areia perderam a sua definição, mas as linhas da mente não se perderam, pois foram capturadas na memória, na história. No passado, as percepções dos ideais perdidos, direções erradas e ensinamentos diluídos criaram desarmonia, divisão e separação — e novos padrões de nascimento, crescimento e renovação, ou declínio e decadência, evoluíram.

Mas o impulso original que produziu a semente e a árvore, os galhos e as ramificações, os corredores subterrâneos com seu lugar ao sol, ainda está lá dentro, buscando expressão e realização. Não há necessidade de alterar quaisquer limites, anexar outros territórios, ou dissolver quaisquer compartimentos, salvo na prisão da mente. E uma mente que é mutilada pela memória — pela separação e pelo medo — nunca pode ser livre. Podemos encontrar nosso próprio lugar ao sol, indo além da escravidão do passado e servindo a esse impulso onde quer que estejamos. Esse é o nosso território; esse é o nosso centro; essa é a nossa família teosófica.

Para a Árvore Genealógica da Teosofia, clique aqui

Text Size

Paypal Donate Button Image

Subscribe to our newsletter

Email address
Confirm your email address

Who's Online

We have 658 guests and no members online

TS-Adyar website banner 150

Facebook

itc-tf-default

LOGO ITC

TS Point Loma/Blavatsky House

Vidya Magazine

TheosophyWikiLogoRightPixels