Língua Portuguesa

Minha conversa com o Dalai Lama

Raghavan Iyer – EUA

[Impresso no panfleto: LONDON, EAST AND WEST LTD., Palestra proferida em Londres, 1961.]

Devo avisá-lo desde o início que me proponho a falar com você esta tarde não como ex-presidente da União de Oxford, nem como dona de Oxford. Quero abdicar desse papel e falar com você como um buscador e um peregrino, porque foi assim que fui ao Dalai Lama. Essa é a única justificativa para minha tentativa de dizer o que ele me falou durante aquela memorável e emocionante entrevista que ele gentilmente me concedeu em março passado, exatamente um ano depois de seu exílio do Tibete na Índia. Eu sinto que devo compartilhar com vocês minhas lembranças do que ele me disse, particularmente em vista de seu próprio sentimento sobre este país. Ele considerava a Inglaterra como uma força do bem no mundo de hoje, desempenhando um papel único no Ocidente. Ele disse que Londres era o centro espiritual e ético da Europa, e quando eu perguntei a ele se isso significava que muitas almas sábias haviam começado a encarnar neste país, ele concordou. Ele também afirmou que até mesmo o governo deste país estava mais ciente da posição do Tibete do que, talvez, em qualquer outro país do Ocidente. Sinto, portanto, que devo dizer a um público compreensivo deste tipo, tão fielmente quanto me lembro, o que o Dalai Lama me disse em resposta a uma série de perguntas que lhe fiz.

Devo primeiro fazer algumas observações preliminares sobre o significado distinto da entrevista e a dificuldade de reproduzi-la esta tarde. O Dalai Lama é um homem notável por qualquer padrão, raro em qualquer época, mas talvez único no nosso. Ele é cinco anos mais novo do que eu, e mesmo assim, durante toda a entrevista, eu sabia que estava na augusta presença de um homem que não tem idade, que poderia assumir uma variedade de poses, totalmente sem afetação. Ele era sábio e benevolente, mas também sem arte e infantil; ele estava intensamente envolvido, mas profundamente desapegado, em todos os enunciados; ele era um homem muito amável, de uma disposição divina e mansa, mas ele também era outra coisa. Ele era uma presença impassível e impessoal. Ele falou como um veículo puro, como algo maior e mais grandioso do que normalmente se manifesta ao homem. Ele não pretendia ser, nunca pensei que fosse, perfeito ou infalível, mas em sua companhia senti o frescor da imensa pureza pessoal, uma santidade visível que resplandecia de uma inteireza interior. E não só isso, eu senti que quase pela primeira vez eu estava me comunicando eficaz e adequadamente com outro ser humano, e eu quero dizer isso no começo, porque é muito difícil trazer de volta a esse tipo de atmosfera ou talvez a qualquer outro a maneira da comunicação que ocorreu entre o Dalai Lama e eu. Todas as distinções de personalidade desapareceram.

Não havia a menor consciência dos truques ou até mesmo a inadequação da linguagem. Ele falou em tibetano; Eu falei em inglês com a ajuda de um intérprete competente. Ele entendeu meu inglês, mas eu não entendi seu tibetano. No entanto, durante a entrevista, senti que aqui estava um homem que articulava cada pensamento relevante que ele tinha em mente. Se sua linguagem era cuidadosa e sucinta, seu pensamento era controlado e preciso. Longe de simplesmente tentar fazer a coisa certa por seu interrogador, longe de ser simplesmente educado, ele estava totalmente absorvido no processo extenuante, tão propositadamente quanto a linguagem permitia, com relação a cada pensamento significativo que surgisse em sua mente em referência a cada pergunta que eu levantei. Isso, sugiro, era um método de comunicação muito incomum. Nós sentimos que éramos seres humanos além das peculiaridades que afetam as limitações da personalidade. Ele me deu uma sensação de participação igualitária, uma sensação de algo mais glorioso do que qualquer um de nós, que eu nunca tive antes, e que de fato contrastou logo após essa entrevista com outras personalidades imponentes que eu tive o privilégio de conhecer na Índia.

Link to English version:

https://www.theosophyforward.com/articles/theosophy/2548-my-talk-with-the-dalai-lama 

Text Size

Paypal Donate Button Image

Subscribe to our newsletter

Email address
Confirm your email address

Who's Online

We have 146 guests and no members online

TS-Adyar website banner 150

Facebook

itc-tf-default

LOGO ITC

TS Point Loma/Blavatsky House

Vidya Magazine

TheosophyWikiLogoRightPixels