Língua Portuguesa

Animais, nossos irmãos mais novos

Andrew Rooke – Austrália

Theosophy AR 2

Que beleza.. (Lêmure, nativo de Madagascar)

Se você já teve um animal de estimação querido em sua casa, certamente teria se perguntado: como é que os animais podem ter um impacto tão grande sobre nós, humanos, apenas por “estarem lá”? Quem são os seres que chamamos de 'animais' e como eles se relacionam com o reino humano?

Um estudo da história mostra-nos que os animais foram utilizados numa vasta gama de símbolos no mundo antigo para indicar as várias forças da Natureza e verdades relativas às operações do Universo. As constelações celestiais de estrelas na nossa galáxia eram chamadas de animais porque a maioria das tradições antigas reconheciam que a força vital anima todos os reinos da Natureza, desde pedras, plantas, animais e pessoas — até as estrelas e mais além. De acordo com a Teosofia, todas as entidades na sua essência partilham uma essência divina, mas diferem na medida em que podem expressar as suas potências e assim formar a miríade de reinos de vida ou “Hierarquias” do nosso Universo.

Theosophy AR 3 Girl and cat

Menina e gato

Foto © Evgenia Litovchenko

Esta é essencialmente a diferença entre os reinos animal e humano, pois os animais ainda não desenvolveram o mesmo nível de autoconsciência interna que o homem. De acordo com os ensinamentos teosóficos, os animais vivem na sua natureza Kama ou 'Desejo Inferior', enquanto o homem opera dentro do princípio Manásico ou 'Mente' com a maioria da humanidade atualmente centrando a nossa consciência no Kama  — Aspectos Manas ou Inferiores [isto é, orientados para o material] da Mente. Os homens, numa encarnação anterior da nossa Terra, eram então equivalentes aos animais, mas, ao longo de vastas eras de experiência de vida, devido a muitas encarnações, desenvolveram uma capacidade intelectual e uma consciência ética, ainda debilmente expressa, que nos distingue dos animais. Seres que chamamos de 'Deuses', mais progredidos na escala evolutiva do que o homem, estavam intimamente preocupados em despertar os fogos da Mente no homem há eras atrás, acelerando assim a nossa evolução e tornando-nos autoconscientes até um grau limitado —  os seres pensantes que conhecemos são os de  hoje. Um dia, num futuro distante, será nosso dever cumprir este dever sagrado para os nossos 'Irmãos Mais Novos', ou seja. aqueles seres que agora são os animais. Estamos intimamente envolvidos no destino do reino animal e eles no nosso — não  se admira de que os nossos animais de estimação tenham um impacto tão grande nas nossas vidas!

Os professores teosóficos lançam muita luz sobre a natureza interna do reino animal e sua relação com nós, humanos.  H.P.  Blavatsky diz: “…A doutrina [secreta] ensina que a única diferença entre objetos animados e inanimados na Terra, entre um animal e uma estrutura humana, é que em alguns, os vários 'fogos' [isto é, princípios espirituais] , estão latentes e em outros estão ativos. Os fogos vitais estão em todas as coisas e nenhum átomo está desprovido deles. Mas nenhum animal tem os três princípios superiores despertados nele; eles são simplesmente potenciais, latentes e, portanto, inexistentes. E assim seriam as estruturas animais dos homens até hoje, se tivessem sido deixadas quando saíram dos corpos de seus Progenitores, cujas sombras eles eram, para crescer, desdobradas apenas pelos poderes e forças imanentes na matéria.” [ A Doutrina Secreta Vol.2, página 267 no inglês].

Outro autor teosófico, G de Purucker, escreve sobre os diferentes reinos da vida com os quais estamos familiarizados:

… Aquelas mônadas que desdobraram dois princípios chamamos em sua agregação de Reino Mineral, aquelas que desdobraram três princípios compõem o Reino Vegetal; enquanto aqueles que se desdobraram quatro são o reino animal. O reino humano desenvolveu, pelo menos até certo ponto, cinco princípios dos doze. Não seremos realmente seres humanos completos até o final da quinta ronda [global] [da vida na Terra – estamos na quarta agora], quando Manas [palavra sânscrita para o princípio da Mente], na medida em que for possível, estará então plenamente desenvolvido em nós. Atualmente, estando apenas na quarta ronda [do ciclo de vida do nosso planeta], e ainda na quinta raça [dos sete no ciclo de vida da humanidade] no quarto globo [dos sete no ciclo de vida da humanidade], somos uma espécie de 'animal humano', o quarto elemento de Kama [palavra sânscrita para os 'desejos' inferiores e mais materiais] manifestando-se em nós mais fortemente do que o quinto princípio ou 'manásico' [que significa 'mente']  Fonte do Ocultismo , página 278 do inglês]

+++++++

Este artigo também foi publicado na edição de junho de 2024 da revista Theosophy Downunder (TS-Pasadena)

Se você gostaria de receber esta revista eletrônica trimestral de alta qualidade em sua caixa de correio, escreva para o editor, Sr. Andrew Rooke: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Text Size

Paypal Donate Button Image

Subscribe to our newsletter

Email address
Confirm your email address

Who's Online

We have 387 guests and no members online

TS-Adyar website banner 150

Facebook

itc-tf-default

Vidya Magazine

TheosophyWikiLogoRightPixels