Língua Portuguesa

Um assunto importante

Boris de Zirkoff – EUA

Theosophy An important subject 2  Boris de Zirkoff
Volume XVI

N.º. 4 (82) – Primavera de 1960

[Foto na capa: Dr. Henry Travers Edge, 1867-1946]

Há um tema para reflexão, respeitante ao mundo de hoje, que deve ser de importância primordial para o estudante de Teosofia. Deve ser amplamente debatido em reuniões teosóficas bem como nas páginas das revistas teosóficas. Por uma ou outra razão, contudo, raramente é levantado, e quando é, recebe escassa atenção, enquanto nalguns lugares é evidentemente ignorado e se possível, abafado.

O assunto diz respeito ao desagradável facto de que a era de fantásticos avanços científicos de índole materialista, de enorme aumento do bem-estar económico nalgumas nações e o mais elevado nível de vida jamais visto, conforme alude um bem conhecido slogan, coincide com a maior queda dos padrões éticos, o mais enraizado egoísmo e à ampla disseminação da corrupção em todo o globo. Como pode isto ser explicado?

Claro que nenhuma explicação imediata é possível, mas com certeza outros factos colaterais na situação atual podem ajudar a explicar isto.

Em primeiro lugar, permitimos que preocupações puramente materiais dominassem as nossas mentes excluindo praticamente tudo o mais. É duvidoso que isto possa ser atribuído aos cientistas-investigadores que são responsáveis por descobertas espantosas; estes homens são habitualmente indivíduos de natureza pouco mundana, não procurando poder ou reconhecimento pessoal, e são, por vezes, lamentavelmente inconscientes da má utilização reservada para as suas descobertas. Mas existem lucros das descobertas científicas para serem auferidos e poder a adquirir da sua exploração. Enquanto assim for, milhões de pessoas irão abusar dos resultados do conhecimento científico e arrastar os avanços científicos para o nível de gratificação pessoal e da cobiça do poder.

O que chamamos de "alto nível" de vida diz respeito, quase exclusivamente, a dispositivos materiais. A sua infinita multiplicação resultou num efeito hipnótico sobre as mentes humanas, especialmente no Ocidente, mentes totalmente incapazes de pensar em termos de pensamento abstrato e inconscientes das implicações disto. Onde encontramos homens e mulheres a incluir no "alto padrão" de vida qualidades como por exemplo, honestidade, humildade, perseverança, auto-abnegação, autocontrolo, simpatia pelos outros, ação compassiva, integridade, e algumas outras qualidades da alma e da mente que são uma porção integral da verdadeira humanidade?

Além disso, deparamo-nos com o facto de que o estado e o valor das pessoas e das nações são avaliados pelo seu poder, grandeza exterior e capacidade de impor sobre os outros as suas próprias ideias – por piores que sejam - de modo violento ou pelo menos impositivo, independentemente das óbvias consequências. O entendimento mútuo, o perdão dos erros, o ceder nalguns pontos menos importantes para conseguir uma importante vitória moral – tudo isto é terra incognita para a maior parte das pessoas, e parece ser totalmente inexistente no que concerne à relação mútua entre nações.

O próximo na lista, embora não menos importante, é a condição geral das pessoas cuja suposta educação ensinou-as que a autoafirmação é um dos principais objetivos de vida e apenas aqueles que mostram força pessoal em atingir as suas ambições, são dignos de consideração. A vida diária é de insana autoafirmação, de cobiça egoísta pelo poder, e de artifícios astutos para ludibriar o outro e eliminá-lo, se possível.

Parece que a única altura em que a parte mais rica do ser humano vem à tona, começando a manifestar as qualidades mais nobres da sua natureza interior, é quando algum desastre requer uma ajuda massiva às vítimas, seja numa guerra, num terremoto ou numa cheia. A dedução em relação a este facto é óbvia: quanto mais seguro um ser humano estiver, quantos mais bens materiais tiver e quanto mais distante se encontrar em pensamento e na experiência direta do sofrimento humano, mais egoísta ele se torna; as exceções a esta regra existem, mas são demasiado poucas para serem contadas.

Nenhuma civilização no verdadeiro sentido desta palavra pode ser almejada apenas através de descobertas científicas ou através de ajustamentos político-económicos, ou de um jogo de poder político, ou da insana ilusão de "segurança" completa e infalível de todos os homens contra os estragos da doença, da velhice ou de acidentes. Em tudo isto podem estar inerentes algumas boas ideias, como complementos ao tema central principal, mas não mais do que isso. O tema central é a construção de bases éticas sobre a qual será erigida a superestrutura de uma comunidade global das pessoas. Isto não pode ser conseguido sem uma mudança básica e gradual dos corações e mentes humanas, com a sua reorientação na direção do "desejo" para a direção do "serviço". Só então podem os avanços da ciência tornarem-se de utilização permanente para a grande maioria dos homens. No estado atual, constituem o maior dos riscos para a sobrevivência da humanidade e uma constante fonte de abusos.

Falar sobre desarmamento mundial soa bem, mas é completamente irrealista num mundo onde milhões de pessoas estão prontas para combater, às vezes contra o seus próprios vizinhos, à menor provocação, e possuem armas para esse efeito, "apenas no caso de". Falar de democracia num mundo onde a maior parte das pessoas estão empenhadas em impor os seus próprios egos aos outros, é enganar as pessoas com meros slogans. E fazer estas pessoas acreditar que o seu bem-estar consiste, em garantir para elas o maior número de dispositivos materiais, enquanto metade do mundo vive na pobreza abjeta, na ignorância mais crassa e na infame imundície, é construir um futuro de enorme desapontamento, quando por fim os verdadeiros problemas se tornarem claros.

É nossa opinião que os temas para reflexão acima devem receber muito mais atenção por parte dos estudantes de Teosofia do que aconteceu até agora e a sua discussão deve ser iluminada pela luz dos ensinamentos teosóficos, especialmente do karma, da reencarnação, dos ciclos e da inter-relação dos mundos espiritual e material na evolução do homem.

Link to English version:

http://www.theosophyforward.com/articles/theosophy/1702-an-important-subject